Quase 300 projetos de energia solar e eólica são aprovados na França

Em meio à pandemia que o mundo está vivendo e que tem prejudicada a finalização dos atuais projetos que se encontram ainda em construção e no lançamento de futuras ações, a França aprovou cerca de 300 empreendimentos nos setores de energia solar e eólica, como meio de minimizar os efeitos da crise mundial. 

Os vencedores participaram do último leilão energético na França e juntos somam uma capacidade de 1.700 MW, que vão permitir ao país alcançar os objetivos definidos na programação energética anual, o chamado EPP. As principais empresas vencedoras foram: Boralex; EDPR; Enertrag  e Engie.

Todos os projetos agora aprovados entrarão em serviço de forma gradual e no final irão produzir 2.6 TWh de energia elétrica por meio de fontes de energia renovável por ano. Este valor irá contribuir para os objetivos energéticos traçados pelo governo francês.

Uma série de medidas foram anunciadas pela ministra da transição energética francesa, Elisabeth Borne, entre elas: o adiamento de prazos para não penalizar projetos devido à atual crise; preço de compra de eletricidade para os pequenos projetos de energia solar foi congelado durante três meses; e um novo calendário para a realização dos próximos leilões de energias renováveis. 

A ministra foi categórica ao afirmar que a crise não deverá de forma alguma fazer com que o governo renuncie aos ambiciosos objetivos em termos da política energética do país. “Os 300 projetos de energias renováveis vencedores que foram agora aprovados são uma prova da vontade de continuidade da política do sistema energético”, afirmou.

CARVÃO AQUI NÃO
Diga não ao carvão! Assine nossa petição: https://campanhas.arayara.org/carvaoaquinao

ENERGIA SOLAR SEM TAXAÇÃO
Assine a petição e defenda a energia solar sem taxação: 
https://campanhas.arayara.org/energiasolarsemtaxacao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: